Opinião | Eu, Eu e...Eu

 city, rain, and street image

"A 'sociedade de enganos', de atropelos e de aparências em que nos estamos a transformar é, cada vez mais, uma sociedade claramente umbilicista, produtora de sujeitos narcísicos, que não olham a meios para atingir os fins. Uma sociedade de eus, ou seja, de indivíduos de comportamentos ímpios, compenetrados em si mesmos. 
Fruto de comportamentos narcísicos, estamos a moldar-nos numa sociedade cega e surda, onde não vemos, nem ouvimos, o que é realmente importante. Caminhamos para uma sociedade deprimida pela ambição do sucesso. O nós já não é o somatório de eus e outros. Aos poucos, estamos a criar uma amálgama de indivíduos solitários, numa relação patológica consigo mesmos.
Vivemos tempos difíceis e é na miséria que aparecem os verdadeiros miseráveis. A palavra crise ganhou protagonismo no dia-a-dia e serve para branquear comportamentos narcísicos. Tudo, diz-se, é devido à crise. Acabou o dinheiro que, aparentemente, abundava e a culpa é da crise. Mas a verdadeira crise que vivemos, a Mãe de todas as crises, é uma crise de valores, é a falta de amor que, sem nos apercebermos, agoniza o outro que devia estar em cada um de nós. Há como que um fim anunciado do amor, devido à multiplicidade livre de escolha que aparenta ser infinita.
A melhor forma de combatermos a tendência umbilicista dos dias de hoje? A fórmula é simples: No pedestal das nossas vidas, colocarmos o eu ao mesmo nível do outro."

Por Sofia Carvalho


Quando li esta crónica da Sofia Carvalho concordei logo com tudo o que ela diz e achei pertinente partilhar com vocês. A sociedade actual assusta-me. Acho que está-se a revelar uma sociedade onde os sentimentos positivos são raros. Amar alguém, nos dias de hoje, parece um achado. Cada vez mais nos empurramos uns aos outros para conseguir aquilo que queremos. Claro que não se aplica a toda a gente (e ainda bem!) mas é desta massa que grande parte das pessoas é constituída. 
E quando se trata de ajudar o próximo? Meu Deus, nem pensar! As pessoas parecem que querem guardar tudo o que há de bom para elas e guardar apenas o que é mau para os outros. Só olham para o próprio umbigo mas esquecem-se que um dia são os outros que precisam de nós, mas no dia seguinte somos nós que podemos precisar dos outros.

E vocês? O que pensam da sociedade actual? 

13 comentários:

  1. Concordo contigo! Infelizmente a sociedade atual deixa-me bastante triste no geral... Tão vazia e superficial...

    ResponderEliminar
  2. Eu se pensar muito na sociedade atual até me dá vontade de ficar triste! Acho que há muito ciúme, "dor de cotovelo" da maioria das pessoas... Penso que a maior parte das pessoas só querem o mal dos outros, mas há ainda (acho eu) uma boa percentagem de pessoas que são boas. O mal vem muito disto, porque só querem que o seu próprio umbigo seja o melhor, por isso tentam arruinar os outros.
    Eu não consigo julgar alguém sem realmente conhecer, gosto de dar sempre oportunidade e acredito que todas as pessoas têm algo bom dentro delas, mas às vezes ninguém quer saber e deixam essas pessoas se perderem e seguir caminhos inapropriados.
    Outro problema é que o mundo está à pinha, há muita gente e cada vez mais receio uma guerra mundial. Mas se não tivesse existido guerras até hoje, o mundo era bem pior do que é, excessos nunca fez bem e aplica-se a tudo. Também muito por causa destas coisas, desta péssima sociedade. Há demasiados conflitos e por mais que seja "normal" estou preocupado. Só depois de haver algo realmente mau (apesar de já vivermos sob imensas dificuldades) é que as pessoas vão pensar em ajudar os outros, porque também querem ser ajudadas. Temo é que só quando houver catástrofes é que as pessoas se tentem ajudar, mas o pior é que seja só por interesse e por receber algo em troca. Apoio o facto de dar e receber, mas apoio ainda mais o facto de dar sem estar à espera de algo em troca. Contudo tento abstrair-me, amar quem sou, amar quem tenho perto de mim, ser feliz à minha maneira :)

    Beijinho grande!

    ResponderEliminar
  3. Concordo bastante tanto com a crónica como com o que disseste.
    A sociedade de hoje em dia é realmente assustadora. Mas pior do que assustador é ser imprevisível. Nunca sabemos qual o próximo passo, qual a próxima regra que vão impor e quais os padrões a que eles se referem.
    A verdade é simples e é esta : as pessoas só querem saber de si mesmas e só olham para o seu umbigo mas falam constantemente da vida dos outros como se isso fosse uma droga que os torna melhores. Não, não os torna melhores, torna-os mesquinhos.
    Atualmente só podemos contar connosco próprios porque ajudar o próximo? Isso é tão raro de acontecer como um ser humano sobreviver em marte.
    É um triste realidade e é como se estivéssemos num barco em vemo-lo afundar e ir abaixo e não podemos fazer nada. Palavras como amor, amizade, companheirismo , solidariedade, felicidade passaram a ser raras que quando alguma coisa destas acontece já desconfiamos que pode estar algo de mal ou algo por detrás. É a sociedade em si que nos torna desconfiados, amedrontados, defeituosos quando na realidade só queremos ser nós mesmos.

    ResponderEliminar
  4. Concordo contigo e com a crónica... Infelizmente é mesmo assim.

    ResponderEliminar
  5. Eu tambem sou obrigada a concordar contigo, por muito que me custe é a realidade em que vivemos. Mas esta, boa ou má, é so mais uma realidade... ja existiram muitas outras, demore o tempo que demorar vai passar, para melhor ou pior. Beijinho. 😊😊😊

    ResponderEliminar
  6. Infelizmente, tens toda a razão. O ser humano (nem todos, claro!), não olha a meios para atingir fins. E então quando é dinheiro que está em jogo... Acho triste, mas isso é tudo verdade.

    ResponderEliminar
  7. Concordo com tudo, infelizmente gostava que algumas coisas fossem diferentes!

    ResponderEliminar
  8. Eu acho que muitos dos comportamentos e tendências que temos a atribuir à atualidade, na realidade, sempre existiram. Acho, aliás, que "antigamente" era bem pior, porque a maior dificuldade da mobilidade social tornava as pessoas mais implacáveis. Basta veres um ou dois filmes sobre a monarquia em qualquer período histórico para perceberes o que estou a dizer =)

    ResponderEliminar
  9. Concordo plenamente contigo. Infelizmente é a realidade em que vivemos, onde as pessoas só querem saber de si e não pensam nos outros!
    Beijinhos

    Ana & The Blog

    ResponderEliminar
  10. Penso que vivemos numa época de egoísmo extremo, mas acredito que um dia tem de melhorar. Espero!

    ResponderEliminar
  11. Interesting, não olhar a meios para atingir os fins. Achas que trair é um meio para atingir um fim?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Depende. Por exemplo: em termos laborais se trabalhas com um amigo e o trais no local do trabalho só para subir de cargo porque sabes que ele tem hipóteses de o obter, nesse caso, trair o amigo é considerado (para mim) não olhar a meios para atingir os fins.

      Eliminar
  12. Concordo em absoluto com a crónica e com o que escreveste. Daí andar a fazer um esforço para, pelo menos eu não contribuir para esta sociedade de egoísmos. A mudança está ao alcance de cada um de nós.

    ResponderEliminar

Sintam-se livres para se expressarem.

Porém, comentários considerados abusivos ou ofensivos não serão publicados.