Podia estar aqui com mil e uma desculpas e explicações que justificassem a minha ausência do blogue mas não o vou fazer. Embora possa não parecer, escrever é uma paixão que me acompanha desde do início da adolescência. Criei o meu primeiro blogue porque não achava piada nenhuma estar a escrever numa simples folha que eu sabia que ninguém iria ler. Era um blogue de carácter bastante pessoal onde eu desabafava quase todos os dias, era uma espécie de diário. Chegou o dia em que achei por bem eliminá-lo e assim foi. Apesar disso, a vontade de voltar a criar um assolou-me várias vezes e fui sempre adiando até que criei o segundo que não durou muito tempo porque, confesso, desisti dele. E, mais uma vez, muitas vezes tive vontade de voltar. Quando recebi o incentivo que me faltava e ganhei coragem nasceu o Dona Ritta. Mas Rita, coragem para quê? 

Sou uma pessoa muito insegura daquilo que sou e daquilo que eu faço. O falhanço e o medo de cair no ridículo dão cabo de mim quase todos os dias. A simples ideia de imaginar alguém que me conhece a ler o blogue e a gozar com aquilo que aqui coloco invade-me cada vez que eu tenho vontade de escrever um post. E é a isto que se deve a minha ausência. Sei que não é saudável eu ser assim mas acreditem que todos os dias tento lutar contra isto até porque, em certas situações, vejo a minha vida prejudicada por conta do medo e da insegurança.

Sei que tenho um longo caminho a percorrer mas cada passo é uma pequena vitória e partilhar com vocês este lado tão pessoal é uma conquista.

quote, insecurity, and words image

5 comentários:

  1. Apesar de nunca ter sentido esse receio - pois os meus amigos e familiares lêem o blogue e isso nunca me fez confusão -, a verdade é que não estás sozinha e esse medo é mais comum do que pensas. Acho fantástico que, aos pouquinhos, o tentes combater mas, sempre que precisares de uma pausa, faz uma pausa e nunca te sintas mal por isso. Nós continuamos deste lado :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelo teu comentário Carolina, soube bem ler essas palavras!
      Mas por mais que digas que não me devo sentir mal por me ausentar sempre que necessito eu não consigo. Gosto muito das pessoas que me acompanham e sinto que lhes devo algo, quanto mais não seja, uma justificação. Mas deixa-me extremamente feliz saber que tu, alguém que muito admiro e que me inspira, continuarás desse lado :)

      Eliminar

Sintam-se livres para se expressarem.

Porém, comentários considerados abusivos ou ofensivos não serão publicados.